«

  I must remember sacred things.

  Even when my spirit can see, my mind cannot, sometimes, see the other way. Como uma lei sem regulamento, like tons of software, in a paper box.

  Everything is in “it’s” perfect place, Radiohead em Inglaterra, Porto no Douro, Cesária Évora em Cabo Verde…

  Each word in a sentence is important. Each moment of life needs closure, momentos com princípio e fim. Simples. Quando sair, não olho para trás. Each moment I did, perfect, sentence, vamos ouvir a música da criação, texto sugerindo e reforçando, a hermética concretização. Nenhum sentido, importante esquecido, ponto, princípio activo, passivo ou neutro, ternário, quaternário ou círculo, poderá estar perdido, no meio, da multidão, tsunami na tinta molhada desta mão. …É a harmonia das cores, que afino melhor com a divina sabedoria da sincronia automática, resultado da minha interveniência. So I painted all my life with feelings, colors, they’ll grow after. Nada menos. Eis o texto sagrado, jamais em latim.

  Entre cada frase existe um encaixe. Encaixo os sentidos na paleta dos sentimentos. Entre cada prefácio, entre quaisquer conclusões. Entre cada parágrafo, ao amanhecer, ao entardecer e ao anoitar. Entre cada página e livro da minha vida. Assim escrevo o meu pão. É o feroz combate, adormecido, de manhã, ao luar… O sangue puro em cada respirar. gramática Telling my spirit to my mind…

  Each text isn’t new until ‘it end’. Each explanation reports back, and, it will be usual, nothing greattier will appear than another beginning.

 Cannot be slave, of(f) the rhythm, even my spirit don’t want to understand.  Elo perdido: mistura de cores, tons de cinzento. (E até as flores do jardim…, mudam de cor, ao ver-me assim.)

  Procuro o encaixe nos espaços vazios. A sincronia diminui estes lugares, que são zonas de detenção, rotundas que me fazem olhar para ao lado. Na estrada do pensamento, a sinalização vertical, desenha na vista periférica, igualmente, o percurso perfeito. Detenho-me nos sítios dessas rotundas, especialmente se consigo continuar a ver o meu caminho. Eis a dialéctica da criação e da compreensão.

»

(Recortes úteis de lembranças importantes…)

Cláudio Tom Hughs Li